Otimismo dá lugar à indefinição

Os moradores de Pinto Bandeira tiveram bons motivos para comemorar em 2010, com a emancipação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Porém, com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de haver eleições apenas em 2012, o novo município passa por um momento delicado. “Vivemos um momento de total indefinição. Somos município e devíamos gozar nossa autonomia. Porém não temos possibilidade de que isso ocorra antes de 2012”, preocupa-se o presidente da Associação de Moradores Pró-Município de Pinto Bandeira e líder do processo de retomada da autonomia política, João Pizzio.

Ainda em janeiro, Pizzio tem um encontro marcado com o governador Tarso Genro para expôr a situação de Pinto Bandeira. “Temos todos os direitos constitucionais, mas nossa autonomia está impossibilitada”, protesta. O que ele busca é viabilizar uma possível parceria entre Assembleia Legislativa ou Governo do Estado para que haja um repasse de investimentos.

Os projetos de Bento Gonçalves envolvendo Pinto Bandeira não foram encaminhados, segundo o prefeito Roberto Lunelli. “Hoje estamos apenas mantendo os serviços básicos. Tínhamos projetos para esgoto, reforma da praça e campo de futebol, mas cortamos tudo”, acrescenta.

Leia a matéria completa na edição desta sexta-feira.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.