Patrulha Maria da Penha completa nove anos de empenho na proteção das mulheres

Criada em 2012 com o intuito de promover proteção a milhares de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, a PMP é referência no atendimento e acolhimento às vítimas

Divulgação: Brigada Militar

Na quarta-feira, 20/10, a Patrulha Maria da Penha (PMP) da Brigada Militar, principal política de proteção à mulher vítima de violência de gênero, completou nove anos. Criada em 2012 com o intuito de promover proteção a milhares de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, a PMP é referência no atendimento e acolhimento às vítimas.
A Patrulha Maria da Penha compõe um dos pilares da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. A rede é composta pelo Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Brigada Militar, Delegacia Especializada ao Atendimento a Mulher (DEAM), Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (COMDIM) e Centro REVIVI que, em conjunto, buscam alternativas para as questões voltadas à violência doméstica.

Em Bento Gonçalves, a patrulha foi criada no ano de 2015 e vem contribuindo significativamente para a redução dos índices de violência doméstica na cidade, prestando aproximadamente 5 mil atendimentos a vítimas desses crimes.

A Patrulha Maria da Penha do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas em Bento Gonçalves é composta por 11 policiais militares que desempenham atividades administrativas, os quais atuam em turnos diversos na prevenção e assistência às vítimas. Neste ano, até a data de hoje, 21/10, não houve casos de feminicídio envolvendo mulheres atendidas pela PMP de Bento Gonçalves.

Em evento alusivo aos nove anos de criação da Patrulha Maria da Penha, será realizado o V Seminário Estadual das patrulhas Maria da Penha na sexta-feira, 22/10, na cidade de Porto Alegre, com o tema “Práticas Institucionais de combate à violência doméstica e ao feminicídio”.

O 3º BPAT alerta que, caso as pessoas percebam em um familiar, amigo ou vizinho uma situação de violência, é importante ligar para um dos canais de denúncia da polícia. “Ligue para o 181 da Polícia Civil se você percebeu um fato e tem informações e ligue para o 190 se for uma situação de risco iminente para a vítima”, esclarece a BM.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.