PC inicia na Capital implantação de um dos maiores complexos de segurança pública do sul do país

51969981588 474d638d3d k
Conforme a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, o novo espaço promove ainda mais a integração entre os órgãos operacionais – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

A Cidade da Polícia Civil, como foi batizado o conjunto que abrigará em um único local os departamentos especializados da Polícia Civil gaúcha, na zona leste de Porto Alegre, abriu as portas oficialmente na terça-feira, 29/03. A inauguração marcou a primeira etapa de implantação de um dos maiores complexos de segurança pública do sul do país, que vai centralizar grande parte dos serviços operacionais da instituição e garantir uma economia significativa aos cofres públicos, uma vez que departamentos como o de investigações criminais (Deic), que funciona em sede alugada na região do aeroporto, devem migrar por completo para o espaço.

O local fica na avenida Bento Gonçalves, quase no limite com Viamão, na Região Metropolitana. A localização é estratégica e vai diminuir o tempo de resposta de serviços considerados essenciais no combate à criminalidade. A Cidade da Polícia Civil abrigará neste primeiro momento a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e a Volante do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM). Cada um desses serviços estará em prédios diferentes, restando outros 13 para instalações futuras – são 15 prédios ao total.

51970477800 f742f2612c k
Localização é estratégica e vai diminuir tempo de resposta de serviços essenciais no combate à criminalidade – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

A estrutura de 115.580 m² coloca a Polícia Civil gaúcha como uma das mais modernas do país e promove a integração, como disse a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor. “É um sonho que se concretiza para a nossa instituição e um espaço que, sem dúvidas, vai promover ainda mais integração entre os nossos órgãos operacionais e que será um centro de excelência em investigação criminal. Deste modelo, hoje há apenas um, no Rio de Janeiro, e outros dois sendo formados em Goiás e no Tocantins”, afirmou.

O prédio da Core, único de dois pisos em todo o complexo, é dividido em 42 salas e um refeitório, que será de uso comum da Cidade da Polícia Civil. O primeiro piso será dedicado à ala operacional do Grupo de Resgate e Intervenção (GRI), enquanto a parte de cima abrigará o novo Núcleo de Investigações Especiais e suas duas delegacias, além da Divisão de Inteligência e Análise Criminal (Dipac) da coordenadoria. No prédio onde as equipes da Volante foram instaladas estão também a Administração, um auditório com capacidade para 80 pessoas e duas salas de reuniões, além de um espaço para recepção.

51969981223 299085a8bc k
A Coordenadoria de Recursos Especiais e a Volante do Departamento de Polícia Metropolitana já estão instaladas no local – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Esses são os dois únicos prédios cujas reformas foram finalizadas. Os demais ainda não têm data para serem inaugurados. O complexo era a sede do Centro Técnico de Aperfeiçoamento e Formação (Cetaf) da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE).

Investigação de crimes carcerários

Além de dar a largada na Cidade da Polícia Civil, a instituição inaugurou a a Delegacia de Investigação de Crimes Carcerários (Dicar), da Core. O novo órgão tem o objetivo de identificar e responsabilizar os integrantes de organizações criminosas estabelecidas dentro do sistema penitenciário gaúcho, além de promover a consequente descapitalização desses grupos.

Serão quatro servidores, divididos nas funções cartorárias, investigativas e no núcleo de inteligência. Conforme o delegado Gabriel Bicca, que está à frente dos trabalhos, os agentes estarão em constante contato com as equipes que compõem a Delegacia de Investigações Especiais (Diesp), a Dipac e o GRI, da Core. Também a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e a Brigada Militar (responsável por algumas casas prisionais) terão papel importante junto ao órgão.

A Dicar será a segunda delegacia da Core e fará parte do recém criado Núcleo de Investigações Especiais, que abarca também a Diesp – delegacia criada ainda em janeiro de 2019.

Entrega de viaturas

Durante o evento também foram entregues 57 viaturas para a Polícia Civil. Com investimento de R$ 12.512.950 em recursos do Estado por meio do programa Avançar, foram adquiridas 50 Hilux semiblindadas que serão distribuídas na Região Metropolitana e nas vinte e nove (29) regionais do interior do Estado e também para as 17 Delegacias de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

51969915656 87391bb2a5 k
Na inauguração, ainda houve a entrega de 57 viaturas para a Polícia Civil – Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Outras seis SW4, também adquiridas com recursos do Avançar, serão destinadas às quatro DINs, Delegacias de Polícia do Narcotráfico, do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc); à 1ª Delegacia de Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic); e à 1ª Delegacia de Polícia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Porto Alegre. O investimento nesses veículos foi de R$ 1.940.728,20.

Com R$ 323.454 em recursos do Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública (Piseg), foi adquirida mais uma SW4 semiblindada para a Delegacia de Polícia de Dois Irmãos, na região metropolitana.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.