Pela primeira vez na América Latina, Surdolimpíadas movimentarão a Serra Gaúcha

Evento internacional será realizado de 1ª a 15 de maio em Caxias do Sul e Farroupilha, contando com 44 surdoatletas gaúchos

Foto: Vídeo Arte Produções

Milhares de atletas surdos, vindos de 77 países, estarão reunidos de 1º a 15 de maio em Caxias do Sul para a 24ª edição das Surdolimpíadas de Verão. O evento será realizado em diversos pontos de Caxias e da cidade vizinha, Farroupilha, contando com 199 atletas brasileiros, sendo 44 do Rio Grande do Sul. Essa será a primeira vez das surdolimpíadas na América Latina.

No total, serão 20 modalidades olímpicas masculinas e 18 femininas. O futebol será o primeiro esporte a iniciar as disputas, antes mesmo da abertura oficial do evento, marcada para 1º de maio. Dia 30 de abril já terá bola rolando nos gramados para que se consiga terminar a competição dentro do prazo. No dia 1º de maio, além da solenidade de abertura, terão sequência os jogos da fase classificatória do futebol, que irá até o dia 10 com jogos diários, com semifinais no dia 12 e disputas de bronze e ouro nos dias 14 e 15, respectivamente.

No dia 2 de maio, sairão as primeiras medalhas dos jogos nas disputas do Caratê, Ciclismo e Natação. Daí em diante, haverá jogos e disputa de medalhas todos os dias, havendo, inclusive, disputas simultâneas. Farroupilha será palco de algumas modalidades, como Ciclismo, Mountain Bike e Tênis de Mesa.

O último dia, 15 de maio, ficará reservado para a Maratona, que acontecerá pelas ruas centrais de Caxias do Sul, e para a disputa do ouro no futebol masculino e feminino, além da solenidade de encerramento dos jogos, às 18h. Haverá transmissão por streaming de todas as modalidades durante as surdolimpíadas, com acesso 100% gratuito, através do canal Deaflympics TV by XPlay. Também já está disponível o aplicativo oficial dos jogos, Deaflympics Caxias 2021, que concentra todo conteúdo gerado e imagens ao vivo de todos os locais de competição.

Foto: Antônio C. Lorenzett

Apesar de ocorrer apenas em Caxias e Farroupilha, as surdolimpíadas devem movimentar toda a Serra Gaúcha. Conforme os organizadores do evento, 56 hotéis abrigarão os cerca de 4,5 mil atletas confirmados, além dos demais participantes das delegações e de profissionais da imprensa.

“A 24ª Surdolimpíadas de Verão é um presente para a região. Será um momento de muita visibilidade para os municípios que acolhem as delegações e visitantes. Um evento feito a muitas mãos. Com certeza é uma grande oportunidade para Caxias e região mostrar que o turismo esportivo é uma realidade. Contamos com a comunidade para acolher a todos”, comenta a coordenadora do comitê de hospedagem e diretora executiva do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), Marcia Ferronato.

A surdolimpíadas é um evento multidesportivo internacional, organizado pelo Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD – International Committee of Sports for the Deaf). Ela ocorre a cada quatro anos e teve sua primeira edição em Paris, na França, em 1924, sendo considerado o evento multidesportivo mais antigo depois dos Jogos Olímpicos.

Tiro esportivo terá atleta mulher de Caxias do Sul

Foto: arquivo pessoal

Pela primeira vez a modalidade de Tiro Esportivo terá uma representante feminina e gaúcha. Mariana Cassina, de Caxias, estará representando o país na categoria Pistola de Ar, acompanhada pelo técnico Vladimir da Silveira.
E a preparação tem sido um desafio e tanto para ambos. Essa será a primeira competição olímpica da atleta caxiense, que vem praticando tiro de defesa desde os 12 anos. Incentivada pelo pai, que possui uma loja de armas em Caxias, Mariana vinha praticando e competindo na modalidade de Tiro de Defesa há algum tempo, mas decidiu se desafiar ao surgir a oportunidade de sua participação no evento olímpico. Conforme o treinador, que é instrutor de tiro e atleta pela Confederação Brasileira de Tiro desde 2000, a modalidade de Pistola de Ar exige técnica específica, concentração e foco.

Além de ser uma proposta diferente daquela que Mariana estava acostumada, a atleta e o treinador precisaram se adaptar com a distância. Morando em São Paulo, Vladimir precisou elaborar um planejamento minucioso e diário, a fim de que Mariana aprendesse os fundamentos da modalidade. “Depois fui juntando os fundamentos nos treinos, à medida que ela ia progredindo. Fiz filmagens e fotos de como ela poderia treinar em casa, mesmo sem dar nenhum tiro e só fazendo o gestual esportivo. Ela mesclou treinos em casa com treinos no estande, improvisado na loja de armas do pai”, conta o treinador. “Seis meses é muito pouco tempo para formar um atleta de alto nível, mas para minha surpresa, já na segunda etapa on-line, que aconteceu na cidade de Garibaldi em março, prova oficial da Confederação Brasileira, ela fez um resultado bem expressivo, ficando na primeira colocação na categoria iniciante”, complementa Vladimir.

A atleta e o treinador se encontraram presencialmente apenas uma vez, no Rio de Janeiro. Mariana viajou para acompanhar o treinamento da equipe brasileira de tiro e também treinar junto com Vladimir. “Nessa fase ela teve contato com outros atletas e vivenciou um treinamento em equipe”, conta. Apesar de ter sido uma experiência proveitosa, outros encontros presenciais não puderam ser concretizados por questões financeiras. “Tudo é muito novo no Brasil quando se fala em surdolimpíadas. Faltam patrocínios e faltam atletas. Mas temos certeza que a Mariana está no caminho certo e dará o seu melhor”, declara.

Foto: arquivo pessoal

Tocha percorrerá ruas de Farroupilha e Caxias neste sábado

Na véspera da abertura das surdolimpíadas, neste sábado, 30 de abril, será realizado o percurso da Tocha Surdolímpica pelas ruas de Farroupilha (subsede) e Caxias do Sul (sede oficial do evento).

A partir das 10h de sábado, a tocha sairá do Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio e percorrerá, através de um revezamento com 28 atletas, ex-atletas e organizadores, todos surdos e brasileiros, as ruas e estradas, até chegar à Catedral Diocesana, em frente à praça Dante Alighieri, em Caxias do Sul.

O ex-surdoatleta brasileiro, Dauber Roque, que no início de abril encontrou a comitiva brasileira e os organizadores da surdolimpíada, em Paris (sede da primeira edição em 1924), quando receberam a tocha, será o primeiro a transportá-la. Cada participante do revezamento percorrerá aproximadamente 1km com a tocha. O presidente do Comitê Internacional de Esportes para Surdos (ICSD), Gustavo Perazzolo, encerrará o trajeto.

Perazzolo receberá a tocha em frente à Igreja de São Pelegrino e a conduzirá pela rua Sinimbu até a Catedral Diocesana. No domingo, durante o espetáculo de abertura, a tocha será acesa simbolicamente e então, ficará exposta na praça Surdolímpica, montada no Centro de Eventos da Festa da Uva.


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.