Pelo segundo mês no ano, saldo de empregos é negativo em Bento Gonçalves

Os reflexos da crise econômica seguem sendo sentidos em Bento Gonçalves. Em março, conforme dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego, compilados pelo Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul (UCS), foram registrados 168 desligamentos. É o segundo mês do ano com saldo negativo de empregos.

Apesar disso, o saldo do primeiro trimestre é positivo, com criação de 59 novas vagas. Entretanto, na comparação com o mesmo período do ano anterior, é possível ter uma dimensão mais exata do problema: entre janeiro e março de 2015, foram abertos 649 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, foram fechados 2.535 vagas no município, um decréscimo de 5,81%. Nesse mesmo período, nenhum setor registrou abertura de empregos.

Setor moveleiro

O setor que mais demitiu foi o da indústria de transformação, o que inclui o polo moveleiro do município. Após o fechamento de mais de 1.100 postos de trabalho em 2015, o primeiro trimestre de 2016 registrou uma queda de 96 empregos diretos na indústria de móveis de Bento Gonçalves. A queda no faturamento em termos nominais foi de 20,8% no primeiro trimestre de 2016 – o que intensifica a baixa de 13,4% ocorrida no ano de 2015. As exportações de Bento Gonçalves, por sua vez, caíram 24,6% em dólares no primeiro trimestre, agravando ainda mais a situação das empresas, que já haviam tido desempenho negativo de 27% no ano passado.

(Foto: Jeferson Soldi/Arquivo SERRANOSSA)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.