PF combate fraudes ao Auxílio Emergencial

Foram cumpridos mandados em Caxias do Sul, além de municípios dos estados de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná e Maranhão

Foto: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira, 22/07, a Operação “Escamoteio”, visando a combater fraudes praticadas contra o Auxílio Emergencial, cujo pagamento foi efetuado pela Caixa Econômica Federal (CEF).

Trata-se da primeira Operação Policial deflagrada após a inauguração da Unidade Especial de Investigação de Crimes Cibernéticos (UEICC), criada pela Polícia Federal para o combate delitos que se utilizam de tecnologia complexa. O trabalho ainda contou com parceria da CEF na obtenção de elementos para comprovação das fraudes.

Foram cumpridos, em municípios do Mato Grosso, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná, Maranhão e no Rio Grande do Sul, em Caxias do Sul, quatro mandados de prisão, 18 mandados de busca e apreensão, sequestro de bens e ainda dois mandados de suspensão do exercício da função pública. Todos expedidos pela 5ª Vara Federal da Seção Judiciária do Mato Grosso.

Dos mandados de prisão, três já foram efetivados: Cuiabá, Várzea Grande e Açailândia. O quarto procurado não foi localizado até o momento. Em Várzea Grande, durante cumprimento de mandado, um homem foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

No RS, em Caxias do Sul, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão no bairro Marechal Floriano. Foram apreendidos celulares; HD Externo; cartões bancários de diversos bancos em nome de terceiros; chips novos e usados de telefonia celular; cinco máquinas de cartões; caderno com informações pertinentes à investigação; uma identidade falsa; e anotações referentes a dados de possíveis contas fraudadas.

Os trabalhos tiveram início às 7h, horário de Brasília. Conforme a PF, não houve resistência por parte dos moradores ao acesso dos policiais às dependências das casas. Foram chamadas testemunhas para acompanhamento do trabalho policial.

A investigação

Segundo apurado, o grupo alterava as informações dos clientes junto ao aplicativo “CAIXA TEM” e, posteriormente, transferia os valores para contas de membros da Organização Criminosa (ORCRIM), efetuando pagamento de boletos ou ainda realizando saques em terminais de autoatendimento do banco.

A operação visa desarticular ORCRIM, que tem entre seus integrantes empregados e terceirizados da própria CEF. A Polícia Federal ainda destaca que, além da desarticulação do grupo criminoso, a operação impende desvio de recursos que devem ser destinados a quem tem direito a recebê-los.

Até o momento, foi constatado um prejuízo de mais de R$ 1.7 milhão, decorrente das fraudes ao Auxílio, somente entre os meses de janeiro e junho deste ano.

*Escamoteio está relacionado à atuação dos criminosos que se dedicam a furtar valores das contas vítimas e, visando a encobrir a ação delituosa, movimentam o produto dos crimes em contas de laranjas.

Há uma Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE) para o combate aos crimes contra o Auxílio Emergencial composta também pelo Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.