Polícia Civil indicia suspeito de jogar cão de penhasco em Bento

Conforme o delegado da 1ª Delegacia de Polícia (1ªDP), Renato Nobre Bias, homem de 30 anos seria vizinho dos então tutores do cãozinho Coragem e teria ficado encarregado de levar o animal para uma clínica veterinária. Entretanto, teria colocado o cão em uma sacola e o arremessado do penhasco

Coragem durante o resgate feito pelos Bombeiros no dia 09/11. Foto: Reprodução

A Polícia Civil encaminhou ao Judiciário nesta segunda-feira, 22/11, o inquérito policial que apurou o crime de maus-tratos contra o cãozinho Coragem, resgatado de um penhasco no dia 09/10, em Bento Gonçalves. O caso foi investigado pelo delegado Renato Nobre Bias, da 1ª Delegacia de Polícia (1ª DP).

O suspeito de ter praticado a maldade contra o animal foi identificado apenas pelas iniciais F.M. O homem de 30 anos seria vizinho dos então tutores do cão, um casal de idosos. Conforme depoimentos, Coragem teria sido atropelado há cerca de seis meses e estava bastante debilitado. Os tutores, então, teriam solicitado a ajuda do vizinho para encaminhar o animal até uma clínica veterinária, “para tratamento ou para sacrificar”, informa o delegado.

O vizinho, entretanto, teria colocado o cão dentro de um saco e o arremessado do penhasco, entre os bairros Universitário e Ouro Verde. Segundo o delegado, o casal de idosos teve conhecimento do fato apenas após a divulgação nos veículos de comunicação locais.

“Ele está sendo indiciado pelo crime de maus-tratos, que tem uma pena relativamente alta, de 2 a 5 anos de reclusão”, revela Bias.  O inquérito foi remetido ao Poder Judiciário de Bento Gonçalves, que irá determinar a pena do suspeito.

Uma nova vida

Após cerca de um mês internado na clínica veterinária Simpaticão, o cãozinho Coragem foi para seu novo lar no dia 03/11. Mesmo sendo um cão idoso – cerca de 16 anos – e tendo presenciado de perto a maldade humana, Coragem tem honrado o nome dado a ele: todos os dias tem mostrado sua garra e sua sede por viver.

Semanalmente, ele faz sessões de fisioterapia e acupuntura na clínica veterinária Sentidos. “Ele passa bastante tempo deitado, por ser um animal idoso, então está com a postura bem ruim. Acabou desenvolvendo escoliose e cifose. Estamos trabalhando bastante o alongamento”, informa a veterinária Viviane Flamia. “Mas em um quadro geral, ele está melhor. Já interage bastante e a expressão é outra. Agora já podemos pensar em acostumar ele em uma cadeirinha de rodas”, complementa a veterinária.

Relembre o resgate do cão, feito pelo Corpo de Bombeiros, clicando aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.