Polícia Civil prende criminosos que praticavam extorsão sexual pela internet na Serra Gaúcha

Na manhã desta terça-feira, 12/05, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), deflagrou a Operação Sextorsion, com o objetivo de combater os delitos de extorsão sexual praticados pela internet. Os criminosos utilizavam nomes e imagens de policiais civis para cometerem esses delitos.

Foram cumpridas cinco medidas cautelares em Farroupilha, Caxias do Sul e Montenegro, sendo três mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva, pela prática em tese dos crimes de extorsão e associação criminosa, tipificados nos artigos 158 e 288, do Código Penal.

Na ação foram presos preventivamente uma mulher em Farroupilha e um homem em Caxias do Sul, sendo apreendidos diversos materiais entre celulares, contas bancárias e notebook, que serão posteriormente analisados para identificação de eventuais novas vítimas. 

Como acontece a extorsão

Conforme apurado pelos policiais civis da DRCI/Deic, os criminosos criam perfis falsos no Facebook, fingindo ser uma mulher jovem e atraente, que passa a convidar homens de meia idade para serem amigos. Em ato contínuo, passam a conversar no Messenger e, posteriormente, no WhatsApp, quando esse perfil falso passa a mandar fotografias de mulheres nuas. A vítima também envia fotos nuas, quando começa a sofrer as extorsões.

O delegado André Lobo Anicet, titular da DRCI/Deic, explica que primeiro entra no esquema o suposto pai da menina exigindo um determinado valor para o tratamento psicológico desta, sob pena de ir à delegacia registrar o fato. Depois, outro criminoso entra em contato dizendo ser policial civil e exigindo uma quantia para o arquivamento do procedimento policial, mandando falsas ocorrências policiais, com a foto da vítima, como se já tivesse solicitado a prisão preventiva daquele homem pela prática do crime de pedofilia.

“Somente nesta investigação, restou apurado que três criminosos associados estariam praticando os delitos, sendo que um está recolhido ao sistema prisional gaúcho e os outros dois estão em liberdade recebendo os depósitos em suas contas bancárias, sendo identificados ao menos sete vítimas dessa mesma associação criminosa”, disse Anicet.

Celulares também foram encontrados na cela de uma prisão, onde cumpre pena o irmão da mulher presa na operação de hoje. A busca contou com o apoio da Susepe.

Canais para denúncia

Disque-Denúncia – 0800 510 2828

WhatsApp e Telegram -(51) 98444 0606

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.