Por uma Bento mais acessível

Dez degraus separam cadeirantes e outras pessoas com dificuldade de locomoção do prédio sede da prefeitura em Bento Gonçalves. Para se adequar ao projeto “Município legal é município acessível”, Ministério Público Estadual, será preciso regularizar esta situação e de todos os órgãos públicos.

O projeto, que abrange 496 municípios, dará suporte a mais de um milhão de pessoas portadoras de necessidades especiais com o objetivo de promover a garantia do direito à acessibilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais e também de idosos a edifícios e espaços de circulação pública em todo o Rio Grande do Sul.

Em Bento, um programa de acessibilidade está sendo elaborado em um esforço conjunto entre várias secretarias. De acordo com o secretário de Gestão Integrada e Mobilidade Urbana, Heber Moacir dos Santos, um capítulo específico para pessoas com dificuldades de locomoção está incluído no Plano Municipal de Mobilidade, elaborado pela secretaria.

Segundo o secretário, projetos para rebaixamento de vias também estão em andamento. “Vamos dar prioridade ao centro devido a maior circulação de pessoas”, afirma. As calçadas estreitas e com desníveis é outro problema mencionado por Santos, que inclui o Instituto de Planejamento Urbano (Ipurb). “Não adianta colocarmos rampas para acesso se a qualidade das calçadas é ruim”, afirma. Lixeiras, placas, postes e orelhões também serão remanejados. “Nunca tivemos políticas voltadas para acessibilidade, mas vamos abraçar esse projeto do Ministério Público, assim como os demais municípios”, finaliza.

Leia a matéria completa na edição desta quarta-feira.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.