Prefeitura abre sindicância para investigar servidor responsável por loteamento irregular

Alexsandro Portilho, funcionário concursado do município, foi afastado de suas atividades funcionais. Ele se apresentou como responsável de uma obra que não tinha licenciamento para ser realizada e que foi embargada na quarta-feira, 16/02, por uma série de crimes ambientais.

Após se apresentar como responsável por uma obra que não tinha licenciamento para operar, o servidor da prefeitura municipal Alexsandro Portilho foi afastado de suas atividades até que as investigações sobre sua conduta sejam concluídas. De acordo com o Portal da Transparência, ele atuava como auxiliar de serviços médicos e sua remuneração ultrapassa R$ 4 mil. A abertura de sindicância investigativa de Portilho foi publicada no diário Oficial de Bento Gonçalves desta sexta-feira, 18/02.

Portilho estava na obra de um loteamento irregular, que foi embargado na tarde de quarta-feira, 16/02, em Bento Gonçalves. Na área, localizada às margens da BR-470, próximo às empilhadeiras, foram encontradas diversas máquinas em funcionamento, abrindo uma área de mata que pode chegar a 10 hectares. Árvores nativas foram derrubadas e soterradas, além de outras irregularidades encontradas, como destruição de ninhos e movimentação irregular do solo.

A denúncia foi recebida pela Associação Ativista Ecológica (AAECO) de Bento Gonçalves e acolhida pela equipe do 3° Batalhão Ambiental da Brigada Militar (3º BAMBM) de Bento Gonçalves, juntamente com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente. A obra foi embargada, um levantamento fotográfico de georreferenciamento foi realizado e, ainda, foi lavrado o Boletim de Ocorrência Policial e o Auto de Constatação do Dano Ambiental.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.