Pró-esporte: Bento Vôlei dá prazo de 15 dias para definir o futuro da temporada

Preocupada com o futuro da temporada e com a falta de informações e previsões da secretaria Estadual de Esportes, a diretoria do Bento Vôlei convocou a imprensa para comunicar que se não houver uma definição quanto à liberação do projeto Pró-Esporte em um prazo de 15 dias, o clube ficará de fora da Superliga Masculina de Vôlei 2016/2017. A notícia foi dada pelo presidente, Marcos Paulo Machado, pelo coordenador, Rafael Fantin, o Dentinho, e pelo vice-presidente, Ricardo de Gasperi.

De acordo com a diretoria, uma força-tarefa foi montada para buscar informações oficiais do Estado sobre o projeto. “Toda a diretoria, a prefeitura, os deputados, a Confederação Nacional e Gaúcha de Vôlei e membros da comunidade estão solicitando uma reunião com o governador do Estado, José Ivo Sartori. Estamos há 40 dias buscando definições e agora, mais do que nunca, precisamos de uma resposta definitiva”, comentou Machado.

Com a temporada comprometida, o clube não consegue sequer manter um planejamento financeiro e técnico do clube. “O Pró-Esporte viabiliza toda a estrutura do clube, como estadia, alimentação, transporte, viagens, material de treino, entre outros. Sem esse aporte, o clube não tem condições de arcar sozinho com todas essas despesas. Como iremos contratar jogadores se não temos como mantê-los?”, questiona Dentinho.

Enquanto as definições não chegam, os atletas pratas da casa treinam para disputar o Campeonato Gaúcho de Vôlei que inicia no próximo dia 18. Já na Superliga, o Bento Vôlei teria seu primeiro confronto no dia 29 de outubro.

 

Entenda

O Pró-Esporte incentiva empresas a patrocinarem clubes esportivos em troca de isenção do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação – ICMS.  Em contrapartida, as empresas depositam 25% do valor patrocinado ao fundo de Esportes do Estado. O Bento Vôlei tem toda a temporada captada, garantida de recursos através de dezenas de empresas, porém, precisa do projeto para que elas possam investir no clube.

No início do mês, no entanto, o Ministério Público descobriu um esquema de propina em troca de liberação de verbas na secretaria de Esporte do Estado, ocasião que levou para a prisão dois funcionários da pasta. Por esse motivo, o segundo edital, lançado em maio, foi suspenso, prejudicando o Bento Vôlei e outros 43 projetos em todo o Rio Grande do Sul – o projeto de Bento não está sob suspeita.  Desde então, o clube não recebe nenhuma definição de quando e se o edital será retomado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.