Procura-se pediatras

O fenômeno é nacional e serve como ponto de discussão para a saúde pública nos municípios e no país. Se uma criança precisar de socorro médico e seus responsáveis se dirigirem a uma Unidade Básica de Saúde nas duas maiores cidades da Serra gaúcha, poderão não encontrar um especialista para o atendimento. Além de uma questão política, a situação reflete a baixa procura pela especialização em pediatria.

Em Caxias do Sul, 42 Unidades Básicas de Saúde operam atualmente, além do Pronto Atendimento 24 horas, que acolhe, em situação de emergência, os usuários do SUS. Destes, quatro não possuem pediatras para prestar serviços à comunidade. Nos postos dos bairros Santa Fé, Vila Ipê, Reolon e São Ciro, são os médicos da Estratégia de Saúde da Família (ESF) que atendem as crianças. “O que acontece é que temos uma diminuição evidente no número de pediatras. A demanda é muito maior que a formação específica de profissionais. Por isso, em algumas unidades, realmente não temos profissionais especializados na área”, comenta a secretária de Saúde de Caxias do Sul, Maria do Rosário Antoniazzi.

Bento Gonçalves

Enquanto em Caxias do Sul apenas quatro Unidades Básicas de Saúde não têm pediatra, em Bento Gonçalves este é o número das que possuem a especialidade, entre os 13 postos em operação atualmente. Há especialistas apenas nos bairros São Roque, Santa Helena, Progresso e centro, além do Centro de Referência Materno Infantil (CRMI).

Leia a matéria completa na edição desta quarta-feira.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.