Quando é necessário buscar auxílio psicológico?

É comum ouvir relatos de quem ainda acredita que fazer psicoterapia é “coisa para louco”, quando na realidade a decisão de tratar-se pode ser entendida como uma atitude muito saudável. Pode-se perceber uma crescente valorização de cuidados inerentes ao corpo, a partir da manutenção de hábitos saudáveis (boa alimentação, exercícios físicos, exames atualizados), que são muito importantes para a qualidade de vida de uma pessoa, mas que, de forma isolada, acabam por não dar conta de um conceito tão amplo como este. É essencial que haja um equilíbrio, possibilitando o bem-estar tanto físico quanto psíquico/emocional.

Não há regras quanto ao momento certo para buscar a psicoterapia, mas o que se percebe, não apenas pela literatura mas também pelo cotidiano da clínica, é que quanto mais tempo o indivíduo demora para buscar esse suporte profissional, mais vezes repetirá situações e comportamentos já vivenciados ao longo de sua história de vida e nos mais diversos tipos de relacionamentos (profissionais, amorosos, familiares, entre outros) e situações. De acordo com Carl Jung: “o que não enfrentarmos em nós mesmos encontraremos como destino”.

Quando se fala em psicoterapia, fala-se também em motivação para o tratamento e esse é um dos fatores importantes para o seu sucesso. Pode ser complicado quando um paciente chega até o consultório e aponta como motivação fatores ligados a uma espécie de obrigação (exigência de companheiro ou do local de trabalho, por exemplo). É importante que a motivação parta do próprio sujeito, embora, muitas vezes, a pessoa possa ter dificuldades em perceber por si mesma a necessidade de tratamento pelo seu envolvimento na situação. 

Na grande maioria dos casos, a busca pela psicoterapia ocorre quando a pessoa está no auge do seu sofrimento psíquico, e o fato de buscar apoio profissional evidencia a percepção da existência de dificuldades e conflitos com os quais a pessoa não pode ou não consegue mais lidar sozinha, e que, em maior em menor grau, geram prejuízos ao indivíduo. Há que se ter em mente que os objetivos da psicoterapia variam em cada paciente e que, de forma geral, não se restringem apenas ao tratamento de sintomas ou doenças, mas também à ampliação e ao aprimoramento da capacidade do indivíduo de relacionar-se com aspectos amplos de sua vida. 

Sobre a profissional
Graduada em Psicologia pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), Letícia Simioni Schossler trabalha com adolescentes e adultos, oferecendo assistência profissional e competente, sempre auxiliando os seus pacientes da melhor forma possível. Além do atendimento individual, também realiza consultas familiares e para casais.

A profissional acredita e atua com base nos preceitos do modelo teórico psicanalítico, área em que pretende especializar-se em um futuro próximo. Esse ramo leva em consideração as teorias de Freud sobre a interpretação dos conteúdos inconscientes de palavras, ações e produções imaginárias de um indivíduo, com base nas associações livres e na transferência.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.