Quase um mês após atropelamento, Keka deixa UTI, mas segue em estado grave e em coma

Quase um mês após ter sido atropelada por um motorista que fugiu sem prestar socorro na BR-470, Marcelina Corrêa Pinto, a Keka, de 40 anos, segue em coma. De acordo com informações do Hospital Tacchini, ela foi transferida da Unidade de Terapia Intensiva para um quarto, mas segue em estado grave. Keka sofreu múltiplas fraturas pelo corpo, além de traumatismo craniano profundo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ainda não é possível definir se Keka tentava atravessar a rodovia ou brincava por entre os carros, como era de costume na área urbana da cidade. A única informação sobre o autor do atropelamento até agora é a de que ele conduzia uma Ford Courier de cor branca. O motorista fugiu sem prestar socorro. (Foto: André Scarmin/Divulgação)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.