Recorde de amostras reflete expectativa da Safra

A expectativa do setor vitivinícola em relação aos vinhos desta safra é das melhores. Isso porque o comportamento climático foi favorável, resultando em uvas de qualidade, que aliadas aos amplos investimentos em enologia e maquinário, contribuem para a elaboração de vinhos e espumantes com qualidade superior. Uma prova de que a aposta é real é o número de amostras inscritas para a 19ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2011. Este ano estarão sendo avaliadas 384 amostras de 72 vinícolas brasileiras. Este mês acontece a coleta dos vinhos nas empresas e em agosto inicia a degustação de seleção para somente no dia 24 de setembro apresentar ao público a representatividade da Safra 2011.

Desde 1993, quando a Associação Brasileira de Enologia (ABE) realizou a primeira edição do evento até o ano passado, nunca foi registrado um número tão expressivo de amostras, o que para a entidade é fator de orgulho, pois comprova a forte relação com a evolução do vinho brasileiro. “A Avaliação Nacional de Vinhos serve como balizador do setor, sendo uma importante ferramenta aos produtores, além de vitrine dos produtos brasileiros”, destaca o presidente da ABE, enólogo Christian Bernardi.

O aumento de amostras em relação a edição anterior foi de 48%. De 260 o número subiu para 384. “O crescimento do número de amostras não só denota o que foi a safra, mas também mostra a confiança que as vinícolas têm no trabalho que a ABE desenvolve”, enfatiza Christian Bernardi. A adesão das vinícolas registrada este ano no evento é ainda mais significativa se olharmos para o aumento da representatividade por Estado. Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo ampliaram o número de amostras inscritas em relação ao ano passado (ver quadro abaixo). O Rio Grande do Sul chegou a um incremento de 50% nas inscrições. Este panorama mostra que o desenvolvimento da cadeia produtiva da uva e do vinho avança em novas regiões produtoras brasileiras.

Se analisarmos os últimos cinco anos veremos que este crescimento é ainda mais expressivo, pois demonstra a forte presença do setor na Avaliação. Em 2006, por exemplo, foram 252 amostras de 63 vinícolas. Em três anos – de 2006 a 2008 – mesmo com o número de vinícolas se mantendo praticamente estável a quantidade de amostras foi aumentando consideravelmente, chegando a 318 vinhos em 2008. Já em 2009, com 308 amostras, o salto foi nas vinícolas chegando a 70 empresas. No ano passado, os números caíram devido a safra que não apresentou um comportamento satisfatório (260 amostras de 55 vinícolas).

Apesar de ser difícil de mensurar, a Avaliação Nacional de Vinhos consolidou-se com um verdadeiro instrumento de avaliação das vinícolas do Brasil. Único e com distinção mundial pela sua estrutura e resultados alcançados, o evento permite traçar um panorama do desempenho dos produtos daquela vindima.

Rigor no processo

Durante o mês de julho, enólogos percorrem o Brasil para coletar as amostras diretamente das vinícolas. A partir de agosto, mais de 100 enólogos brasileiros estarão avaliando as amostras no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho. Somente no dia 24 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves é que centenas de apreciadores de vinho conhecerão a representatividade da Safra 2011. As inscrições para o público iniciam dia 22 de agosto. Mais informações no site www.enologia.org.br.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.