Representantes da Fugini negam falha em produção de molho de tomate

Laudos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) apontaram presença de fungo e ovos de parasitas em três amostras coletadas pelos policiais em dezembro do ano passado

Foto: Twitter/Divulgação

Por videoconferência, um dos sócios e um representante técnico da empresa Fugini, que tem sede no interior de São Paulo, depuseram na terça-feira, 23/05, para agentes da 1ª Delegacia de Polícia de Viamão.

Segundo a delegada que investiga o caso, Jeiselaure de Souza, os depoentes alegaram que não houve falhas na produção do produto. Além disso, informaram que, se houve algum tipo de problema, as irregularidades teriam ocorrido no transporte ou no armazenamento das mercadorias por parte dos consumidores.


Laudos do Instituto-Geral de Perícias (IGP) apontaram presença de fungo e ovos de parasitas em três amostras coletadas pelos policiais em dezembro do ano passado.

De acordo com a delegada, mais uma pessoa deve ser acionada para depor, uma segunda sócia da Fugini, com o objetivo de obter mais informações.

A delegada pretende esclarecer todos os detalhes para decidir ou não por indiciamento, bem como, se houver indícios de crime, os tipos penais a serem enquadrados. O inquérito foi instaurado em dezembro do ano passado.