RGE desarticula quadrilhas de furtos, receptação e instalações de redes clandestinas na Serra

Em conjunto com a Polícia Civil, foram apreendidas 15 toneladas de materiais furtados, além de uma arma de fogo com numeração raspada, R$ 10.000,00 em espécie, 27 munições de calibre 38 e aparelhos eletrônicos em geral

Foto: Reprodução

Equipes da RGE executaram, nos dias 30 e 31 de março, ações de combate a fraudes e furtos de energia elétrica, nas cidades de São Marcos e Caxias do Sul, em conjunto com a Polícia Civil. Foram apreendidas 15 toneladas de materiais furtados, entre cabos, transformadores, maquinário, ferramentas, EPIs, medidores de energia, uniformes da concessionária RGE, de outras empresas terceirizadas, uma arma de fogo com numeração raspada, R$ 10.000,00 em espécie, 27 munições de calibre 38, além de aparelhos eletrônicos em geral.

Duas pessoas foram presas por receptação qualificada, furto qualificado, posse de arma de uso restrito, corrupção ativa organização criminosa, dentre outros crimes. O prejuízo estimado pela RGE chegaria a R$ 1 milhão. Segundo o delegado Rafael Keller, as investigações prosseguem com o objetivo de prender demais envolvidos na organização criminosa.

Conforme a RGE, as ligações clandestinas (gatos) e quaisquer outras irregularidades são investigadas permanentemente, através de fiscalização e monitoramento constante. Estas ligações caracterizam furto de energia elétrica, o que é crime. Além disso, a empresa ressalta que qualquer ligação clandestina pode ocasionar acidentes graves com risco à vida, além de interrupção no fornecimento de energia para uma grande região. Para cobrar os valores não pagos por quem furta energia, a RGE faz o cálculo do que foi consumido e emite a fatura. Muitas vezes, não é possível cobrar esse consumo e os custos são rateados entre todos os demais clientes regulares, conforme estabelece a legislação do setor elétrico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.