Roubos caem 38% no quadrimestre

O aumento no efetivo da Brigada Militar nas ruas e a intensificação das ações preventivas são os principais motivos para a redução de 38% nos índices de roubo em Bento Gonçalves. A prática é motivo de preocupação na área da segurança pública, uma vez que envolve uso de violência. Os dados da Polícia Civil levam em consideração a comparação de ocorrências registradas nos quatro primeiros meses do ano de 2010 e 2011. “É um dado muito importante, que mostra como o policiamento mais presente pode coibir a violência”, comemora o delegado titular do 2º Distrito Policial, Álvaro Becker.  

No primeiro quadrimestre de 2010, foram registradas 177 ocorrências de roubo, contra 110 neste ano. Os dados incluem ações diversas, como roubo de carros, residências, estabelecimentos comerciais e pedestres. Duas particularidades na rotina dos policiais, entretanto, têm ganhado destaque e são motivo de preocupação: a maior incidência do roubo de carros e de ações que envolvem pessoas pedindo donativos nas casas.

Em relação aos veículos, o delegado acredita que a tecnologia seja responsável por uma mudança no foco de atuação dos bandidos. “Houve uma modernização no sistema de segurança dos automóveis, o que fez com que o furto se tornasse inviável sem a chave. Automaticamente, os ladrões se veem obrigados a abordar os proprietários se quiserem o veículo”, detalha.

Segundo a Polícia Civil, cuidados simples como prestar atenção ao chegar e sair de casa poderiam evitar os assaltos. “Quem mora em locais mais afastados, com a entrada da garagem próxima a muros ou árvores, ou costuma entrar e sair à noite deve redobrar os cuidados”, orienta Becker. “Qualquer movimentação suspeita deve ser motivo de preocupação. Para se prevenir, vale ligar para casa e pedir a alguém que acenda as luzes, vigiar a entrada ou até mesmo passar direto e dar uma volta antes de entrar”, ensina. No caso de pessoas suspeitas, o ideal é acionar a Brigada Militar pelo telefone 190.

Pedintes

Um caso registrado esta semana na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) ilustra os perigos de atender pessoas estranhas, em especial aquelas que passam de casa em casa solicitando donativos ou ajuda em dinheiro. Um casal de aposentados ficou sob a mira de um revólver depois de se sensibilizar com um pedido de pão e água.

Ao alcançar o alimento, o proprietário da residência foi rendido por outros dois homens que se aproximaram e anunciaram o assalto. Foram roubadas joias e dinheiro. “Os bandidos se valem do bom coração das pessoas para praticar seus delitos. Não se deve sequer dar atenção a estranhos que batem na porta”, sentencia o delegado, demonstrando preocupação com a elevação de registros deste tipo em Bento Gonçalves. “Ninguém quer deixar uma pessoa passando fome, mas há outras formas de ajudar, como encaminhá-la a uma entidade assistencial ou, ainda, ajudar estas entidades com mantimentos e donativos. É uma forma de ser solidário, sem se arriscar”, opina. A atenção também deve ser redobrada em casos de pessoas idosas que residam sozinhas, pois são alvos fáceis dos ladrões.

Reconhecimento é empecilho

Para o titular do 2º Distrito Policial, Álvaro Becker, a maior parte dos roubos são cometidos por pessoas que já possuem passagem pela polícia, mas que, quando flagradas, acabam liberadas pela justiça por falta de provas. “Nosso principal empecilho diz respeito à falta de informações precisas em relação aos crimes, como a descrição dos bandidos ou um reconhecimento posterior”, comenta Becker.

Segundo ele, mesmo com a preservação da vítima, sem que precise ficar frente a frente com o agressor, muitas pessoas se negam a fazer o reconhecimento temendo represálias. ”Entendemos a insegurança, mas este medo só faz com que o assaltante acabe sendo liberado e volte para as ruas para cometer novos crimes”, lamenta.  

Vizinhos podem ajudar:

Sempre que perceber uma movimentação estranha, entre em contato com os proprietários ou com a Brigada Militar;

Carros parados, pessoas que passam várias vezes pelo mesmo lugar ou que fazem fotografias merecem atenção redobrada;

Mantenha contato constante com seus vizinhos, especialmente em épocas de viagem ou afastamento prolongado de casa;

As mesmas regras valem para os comerciantes: pessoas saindo correndo de lojas ou atitudes suspeitas devem ser notificadas aos órgãos de segurança.

Roubos em Bento Gonçalves (Entre os dias 1º de janeiro e 15 de abril):

2010: 177

2011: 110

 

Greice Scotton

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.