RS confirma primeira morte por dengue em 2024

A vítima é uma mulher de 71 anos que residia em Tenente Portela

Foto: Agência Brasil

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde do Rio Grande do Sul (Cevs) confirmou na tarde de segunda-feira, 05/02, a primeira morte em decorrência de dengue no Estado, em 2024. Trata-se de um caso que estava em investigação em Tenente Portela.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a paciente, uma mulher de 71 anos, que tinha doenças pré-existentes, morreu no dia 31 de janeiro. A idosa estava internada desde segunda-feira, 29/01, no Hospital Santo Antônio, no município do noroeste gaúcho.


Tenente Portela é a cidade com maior número de casos confirmados de dengue no Estado. De acordo com o painel da secretaria de saúde, são 821 diagnósticos e a maioria deles — 800 casos — autóctones, ou seja, contraídos dentro do município.

Atenção aos sintomas

A SES alerta sobre a importância da busca por atendimento médico assim que surgirem os primeiros sintomas para evitar o agravamento da doença e a possível evolução para o óbito.

Febre alta com duração de dois a sete dias, dores de cabeça, no corpo e nas articulações, além de mal-estar, náusea, vômito, diarreia e manchas vermelhas na pele, são os principais sintomas.

Outra recomendação é o uso de repelente para maior proteção individual contra o Aedes aegypti. Além das medidas já conhecidas para a prevenção da proliferação do mosquito como eliminar água parada, por exemplo.


Situação epidemiológica

Neste ano, o Rio Grande do Sul já registrou 2.314 casos confirmados da doença, dos quais 2.101 são autóctones. Os demais foram importados (residentes do RS que foram infectados em viagem a outro local).

Em 2023, o RS registrou mais de 34 mil casos autóctones. Ao todo, foram 54 óbitos em virtude da dengue no ano passado.