Saúde do RS emite alerta de surto de doença que provoca diarreia aguda

O número de casos de doença diarreia aguda (DDA) no Rio Grande do Sul tem crescido significativamente nas últimas semanas. O dado levou a Secretaria de Saúde do Estado, a partir do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), a divulgar um alerta epidemiológico na quinta-feira, 07/10, com informações e dicas para prevenir a doença contagiosa. Atualmente, conforme o CEVS, 25 municípios estão com surtos de DDA em investigação, incluindo Bento Gonçalves.

O principal fator causador da doença atualmente, conforme o CEVS, está sendo o Norovírus, e a transmissão pode ocorrer pelo contato com superfícies contaminadas ou diretamente com pessoas doentes, a partir de secreções corporais. 

A DDA se caracteriza pelo acometimento gastrointestinal que tem como principal sintoma a diarreia. O aumento do número de evacuações pode ou não ser acompanhado de dor abdominal, náusea, vômito e febre.

Ainda segundo o alerta epidemiológico, as medidas de investigação e controle dos surtos estão sendo realizadas pelos próprios municípios com registro, pelas Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS) e pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde. 

De acordo com a secretaria de Saude de Bento, a Vigilância Epidemiológica está enviando amostras de fezes dos doentes para o Laboratório Central do Estado do Rio Grande do Sul, a fim de fazer o diagnóstico do provável agente causador do surto de DDA.

Recomendação à comunidade

Para prevenir a DDA é indicado beber água de fontes seguras (potável), tratadas, que tenham processo de desinfecção por cloro ou outra tecnologia. Além disso, em situações de emergência, recomenda-se fervê-la antes do consumo e antes do preparo de alimentos por no mínimo 5 minutos. 
A higienização das superfícies, equipamentos e utensílios utilizados no preparo e consumo de alimentos deve ser realizada com água tratada e/ou fervida. O gelo para consumo ou conservação de alimentos deve ser oriundo de água potável e/ou fervida.

Também se deve higienizar as mãos de forma adequada, lavando-as com água e sabão, principalmente após a utilização de banheiro, troca de fraldas, antes de preparar e manipular alimentos e antes das refeições; afastar as pessoas doentes das atividades de manipulação de alimentos e reforçar a higiene pessoal mesmo após o desaparecimento dos sintomas; e realizar a limpeza da caixa d’água uma vez ao ano ou sempre que necessário.

Em caso de sintomas de DDA, é recomendado repouso e aumento na ingestão de líquidos para evitar a desidratação, principalmente em crianças e idosos. Em caso de sintomas graves, deve-se procurar a unidade de saúde mais próxima.

Perfil dos Casos de DDA em Bento 

Conforme a secretaria de Bento, entre 01/09 a 07/10, foram notificados 1.036 casos de DDA. Deste total, 39,5% está na faixa etária menor de 20 anos (crianças e adolescentes). A grande maioria dos doentes tem 20 anos ou mais (60,5%). Há uma prevalência nos bairros São Roque, Santa Helena e Vila Nova I e II e Ouro Verde, juntos, somam 30,8% do total de casos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.