Você está no meio de uma escalada nos custos da energia elétrica? Isso tem solução!

Neste momento em que você está lendo este texto, um número expressivo de processos que consomem energia ocorreram para que esta página possa estar à sua disposição. Começo pelo dia em que escrevi, oportunidade em que estive em minha sala, com o computador ligado à tomada, com o fone de ouvido na música “Under Pressure”, do Queen, e com as lâmpadas ligadas para clarear o dia nublado. Ao terminar de escrever, enviei à colega Paula para revisar e repassar ao Jornal Serranossa, que fez a diagramação em seus computadores, ligados também a tomadas, para depois iniciar as impressões em prensas que funcionam em ritmos frenéticos para vencerem seus prazos antes de chegar aos leitores.

Todos esses passos possuem consumo de energia elétrica e, muitos deles, em quantidades expressivas. Agora, pense que não é uma única pessoa que presta serviços ao Serranossa e todas elas devem seguir um caminho parecido com este. Essa contextualização ilustra o quanto somos dependentes da energia e o considerável consumo de energia elétrica necessário para manter trabalhos e afazeres. Esta energia tem feito pessoas repensarem seus custos, otimizarem seus processos e até investirem em processos de eficiência energética ou fontes renováveis para amenizar os aumentos contínuos e evitarem o pagamento de bandeiras tarifárias. Bandeiras essas que nos acompanham há tempo, como a da escassez hídrica, que nos onera com R$ 14,20 a cada 100kWh.

Então, se você consome 300kWh, você irá pagar R$ 32,60 pelo pensamento de governantes que focaram em uma matriz energética centralizada e distante dos centros de consumo, que hoje corresponde a 60% de hidrelétricas. Entretanto, não se desespere, porque esta centralização já foi superior a 80%. Além disso, neste ano há a previsão de aumentos na tarifa de energia de 18 a 22% para uma residência que paga quase R$ 1,00 pelo kWh.
Sabe aquele banho de 15 minutos, quente e relaxante, depois do trabalho? Se você estiver usando um chuveiro de 7200W, você irá pagar R$ 1,80 por banho. Agora calcule 30 banhos mensais por pessoa em uma família de quatro pessoas.

Mas há algumas estratégias para conter esses custos. Conscientização de que a energia elétrica deve ser usada com responsabilidade. Banhos mais curtos, ar-condicionado inverter em temperatura de 21 a 23°C em quartos fechados e com o temporizador ajustado para desligar depois de duas horas, abrir a geladeira de forma rápida e usar lâmpadas LED ligadas só o necessário são opções que podem reduzir a sua conta.

Além disso, aproveitar para colocar energia solar também é uma forma efetiva de economia. Hoje, com os financiamentos, é possível trocar a fatura de energia pela compra de um sistema solar com durabilidade superior a 25 anos e pagar o que você estava pagando na conta de luz.

Canja de galinha e consciência nos gastos com energia não fazem mal a ninguém, não é mesmo?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.